• Relacione-se com Deus

    Confira! Nosso desejo é que através de mensagens e pequenos estudos possamos ajuda-lo a ver que Deus quer ter um relacionamento pessoal e esperamos que você considere a possibilidade de conhecer a Deus e seu amor por você. Não existe outro relacionamento que possamos experimentar capaz de satisfazer completamente aos anseios do coração e da mente humana. ©SuaEscolha.com

  • Conheça a Igreja do Evangelho Quadrangular

    Aimee Semple McPherson (1890-1944), uma evangelista conhecida como "Irmã Aimee", fundou a igreja do Evangelho Quadrangular em 1921. Los Angeles foi o centro das operações, o Angelus Temple foi inaugurado em Echo Park em 1 de janeiro de 1923, assentando 5.300 pessoas. McPherson foi...

  • Leia um Humor Saudável

    Com a missão de levar a palavra de Deus através do humor e trazer um entrenimento saudável para o Cristão nós criamos esse espaço. Clique e dê muitas risadas!

Archive for Julho 2011




por Rod Silva
No desenrolar da história de Jesus e Zaqueu fica claro algumas prioridades do Reino de Deus.
Zaqueu tinha ouvido que Jesus se aproximava e ele queria muito saber quem era o tal messias que o povo tanto comentava. Para isso resolveu subir numa árvore. Jesus o avistou e pediu para ele descer, pois queria repousar em sua casa. O povo, pra variar, não entendeu em nada a grande demonstração de amor que Jesus deu. Zaqueu incomodado com a falácia do povo e também entendendo que ele não era digno de dar morada ao Messias, disse em alto e bom som.
“Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais”. (Lucas 19:8)
Vou resumir isso em uma palavra: Arrependimento.
Mas como eu posso ter certeza de qual era a intenção de Zaqueu ao dizer isso? Será que ele não foi politico pra acalmar o povo e parecer piedoso aos olhos de Jesus? A resposta a isso esta no versículo seguinte, e se você conhece o básico da história de Cristo, sabe que Ele não fazia média e não tinha papas na lingua.
“Jesus lhe disse: ‘Hoje houve salvação nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão. Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido’.” (Lucas 19:9,10)
Resumindo: Porque houve arrependimento é que houve Salvação.
João Batista saiu “preparando o caminho para Senhor” pregando “um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados.” (Lucas 3:3)
Jesus, logo depois da tentação, começou a pregar “Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo”. (Mateus 4:17)
Quando Jesus ressucitou e apareceu a seus discipulos, a mensagem que Ele deixou foi:
“Está escrito que o Cristo haveria de sofrer e ressuscitar dos mortos no terceiro dia, e que em seu nome seria pregado o arrependimento para perdão de pecados a todas as nações, começando por Jerusalém. Vocês são testemunhas destas coisas.” (Lucas 24:46-48)
Esses últimos versículos colocam algumas coisas no lugar.
Portal Expressão Jovem: Arrependimento e Amor. Cada coisa em seu lugar, John Pipper, Rod Silva, Jovens Quadrangular Tupã CentroA mensagem do Reino NÃO É o amor. Mas uma de suas prioridades é o arrependimento. A morte de Cristo na cruz foi o pagamento de nossa dívida, para que nos arrependessemos dos nossos maus caminhos e tivessemos para onde ir. Um novo caminho. Uma boa nova.
John Piper diz que “O mandamento ‘arrepender-se‘ baseia-se numa OFERTA
misericordiosa de PERDÃO e numa advertência também misericordiosa de que, o
que um dia recusarem perecerão no juízo de Deus.” E isso só foi possível pelo sacrifício de Cristo.
Mas é interessante notar que Jesus fala sobre pregarmos arrependimento em Seu nome. Ou seja, a mensagem é o arrependimento, mas o meio e a forma é em amor, já que ele é o verbo encarnado.
Conseguem ver a diferença?
Entendo que a ordem dos fatores, nesse caso, altera sim o resultado. E é por isso que vemos tanto abuso da graça. Porque pregamos um amor que “vence tudo”, mas não nos leva a um profundo e real arrependimento.
E se não nos leva a esse arrependimento, será que a salvação realmente chegou a nossa casa?
Retirado de RodSilva (WordPress)

Portal Expressão Jovem: Não é qualquer coisa que você carrega dentro de você, Genesis 2:7, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículosGênesis 2

7
Então o Senhor Deus formou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente.

A vida é muito mais do que átomos habilmente dispostos.. é um dom de Deus!


Portal Expressão Jovem: Há coisas que têm que morrer para  dar lugar a vida, João 12:24, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículosJoão 12

24
Digo-lhes verdadeiramente que, se o grão de trigo não cair na terra e não morrer, continuará ele só. Mas se morrer, dará muito fruto.


 Portal Expressão Jovem: Procura-se filhos perdidos, Lucas 15:4, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículos Lucas 15

4
"Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la?"



Portal Expressão Jovem: Tá na hora de crescer, Hebreus 5:12, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículosHebreus 5

12
Depois de tanto tempo, vocês já deviam ser mestres, mas ainda precisam de alguém que lhes ensine as primeiras lições dos ensinamentos de Deus. Em vez de alimento sólido, vocês ainda precisam de leite.



Portal Expressão Jovem: Sobre tudo que se deve guardar, guarda o coração porque dele procedem as fontes da vida, Provérbios 4:23, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículos

Portal Expressão Jovem: Até que ponto vai a sua confiança em Deus?, Provérbios 3:5-6, Romanos 3:22, Isaías 26:3, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículosConfie em Deus e não nas suas idéias brilhantes. A Bíblia diz


"Confie no SENHOR de todo o coração e não se apóie na sua própria inteligência.
Lembre de Deus em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará o caminho certo."
Provérbios 3:5-6
Confiar significa crer que Deus fará exatamente o que Ele diz.

"Deus aceita as pessoas por meio da fé que elas têm em Jesus Cristo." Romanos
3:22a
A Bíblia também diz que:

"Tu conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti; porque ele confia em
ti." Isaías 26:3

A Paz perfeita resulta de confiar em Deus.


Portal Expressão Jovem: Por mais escondido que esteja mais cedo ou mais tarde vem á tona, Lucas 12:2, Jovens Quadrangular Tupã Centro, Imagens com versículosLucas 12

2
"Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser conhecido."


-----------------------------------------------------------------------------------
Confira mais!
#05 

Por quê?



Retirado de SuaEscolha.com


Por que as pessoas ficam com câncer? Por que existem terremotos que destroem cidades inteiras? Por que as pessoas têm de trabalhar tão duro para mal ter dinheiro suficiente para alimentar suas famílias?

No subconsciente, provavelmente nos fazemos perguntas desse tipo muitas vezes. Mas, conscientemente, é raro fazermos. Estamos tão ocupados vivendo as nossas vidas que raramente paramos e temos curiosidade de saber POR QUÊ.

Então, alguma coisa acontece para nos despertar. Nossos pais se divorciam. A garota da rua de baixo é seqüestrada. Um parente descobre que tem câncer. Isso nos acorda por um pouco de tempo. Mas depois podemos novamente nos afundar na negação, isto é, até que outra tragédia aconteça, outra inconveniência. Assim tendemos a pensar: Alguma coisa não está certa aqui. Algo está muito, muito errado. A vida não era pra ser assim!

Então, POR QUE coisas ruins acontecem? POR QUE o mundo não é um lugar melhor?

Existe uma resposta para a pergunta POR QUE, encontrada na Bíblia. Mas não é uma resposta que a maioria das pessoas gosta de ouvir: o mundo é do jeito que é porque é o mundo que nós, de certo modo, pedimos.

Parece estranho, não?

O que ou quem poderia fazer este mundo diferente do que ele é? O que ou quem poderia garantir que a vida seja livre de dor, para todo mundo, o tempo todo?

Deus poderia. Deus poderia dar conta disto. Mas ele não o faz. Pelo menos não agora. E, em conseqüência disso, estamos zangados com ele. Nós dizemos: “Deus não pode ser todo poderoso e completamente amoroso. Se ele fosse, este mundo não seria do jeito que é!”

Dizemos isso com a esperança de que Deus vá então mudar de atitude sobre esta questão. Nossa esperança é que, colocando um sentimento de culpa nele, ele vá mudar a sua maneira de agir. Mas Deus não parece mover um dedo. POR QUE ele não age?

Deus não vai se mover — ele não vai mudar as coisas agora — porque está nos dando o que pedimos: um mundo onde nós tratamos Deus como se ele estivesse ausente e fosse desnecessário.

Lembra-se da história de Adão e Eva? Eles comeram o “fruto proibido”. Este fruto era o conceito de que eles poderiam ignorar o que Deus disse ou deu a eles, e começar uma vida separada de Deus. Adão e Eva tiveram a esperança de que seriam como Deus, sem Deus. Eles compraram a idéia de que havia alguma coisa mais valiosa na existência do que o próprio Deus, algo que valesse mais a pena do que ter um relacionamento pessoal com Deus. E o sistema deste mundo — com todos os seus defeitos — veio como o resultado da escolha que eles fizeram.

A história deles é a história de todos nós, não é? Quem já não disse — se não em alta voz, pelo menos em seus corações – “Deus, eu acho que posso fazer isso sem você. Eu só quero fazer sozinho. De qualquer forma, obrigado pela oferta.”

Todos nós tentamos fazer a vida dar certo sem Deus. Por que fazemos isso? Talvez porque todos nós compramos a idéia de que exista algo que valha mais a pena, que seja mais importante, do que Deus. Para pessoas diferentes as coisas são diferentes, mas o modo de pensar é o mesmo: Deus não é o mais importante na vida. De fato, posso viver minha completamente sem ele.

Qual é a resposta de Deus para isso?

Ele permite. Muitas pessoas experimentam conseqüências dolorosas da escolha de outros ou da sua própria escolha que vão contra os caminhos de Deus… assassinato, abuso sexual, ambição, mentira/fraude, calúnia, adultério, seqüestro, etc. Todas essas coisas podem ser explicadas por pessoas que recusaram dar a Deus acesso e influência em suas vidas. Vão vivendo as suas vidas da maneira que acham melhor, e eles e outros sofrem.

Qual é a posição de Deus sobre tudo isso? Ele não é orgulhoso. De fato, Deus pode ser corretamente visto como aquele que toma a iniciativa, com compaixão, esperando que nós voltemos para ele para que então possa nos dar uma vida de verdade. Jesus disse: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso.” (Mateus 11:28) Mas nem todos têm o desejo de ir até ele. Jesus comentou sobre isso quando disse:“Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que são enviados a ti! Quantas vezes eu quis reunir os teus filhos, como a galinha reúne os seus pintinhos debaixo das suas asas, mas não quiseste.” (Mateus 23:37) Mais uma vez, Jesus traz à tona o assunto sobre nosso relacionamento com ele:“Falando novamente ao povo, Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida.” (João 8:12)

Mas e quando a vida não é justa? E quanto a essas horríveis circunstâncias que nos atingem na vida; são causadas por alguém que não nós mesmos? Quando nos sentimos vítimas, é de alguma utilidade sabermos que Deus enfrentou tratamentos horríveis dos outros. Deus entende mais do que ninguém o que você está passando.

Não há nada na vida que possa ser mais doloroso do que o que Jesus enfrentou pelo nosso bem; quando ele foi abandonado pelos seus amigos, ridicularizado por aqueles que não iriam acreditar nele, surrado e torturado antes da crucificação; depois pregado na cruz, numa vergonhosa exibição pública, morrendo lentamente asfixiado. Ele nos criou, e ainda assim permitiu que a humanidade tivesse liberdade para fazer isso, para cumprir as Escrituras e para nos libertar do pecado.

Nada foi surpresa para Jesus. Ele sabia do que estava por vir; sabia antecipadamente de todos os detalhes, de toda a dor, de toda a humilhação. “Enquanto estava subindo para Jerusalém, Jesus chamou em particular os doze discípulos e lhes disse: ‘Estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do homem será entregue aos chefes dos sacerdotes e aos mestres da lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos gentios para que zombem dele, o açoitem e o crucifiquem. No terceiro dia ele ressuscitará.’” (Mateus 20:17-19)

Imagine saber que algo assim tão terrível vai acontecer com você. Jesus entende o que é angustia emocional e psicológica. Na noite em que Jesus sabia que iriam prendê-lo, ele foi orar, mas levou alguns amigos com ele.“Levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se. Disse-lhes então: ‘A minha alma está profundamente triste até à morte. Fiquem aqui e vigiem comigo.’ Indo um pouco mais adiante, prostrou-se sobre seu rosto e orou: ‘Meu Pai, se for possível, afasta de mim este cálice; contudo, não seja como eu quero, mas como tu queres.” (Mateus 26:37-39) Embora Jesus confiasse em seus três amigos, eles não entendiam a profundidade de seu tormento, e quando Jesus retornou da oração, os encontrou dormindo. Jesus entende o que é passar por extrema dor e tristeza sozinho.

Isso está aqui resumido, como João descreve em seu evangelho: A Palavra estava no mundo, e o mundo foi feito por intermédio dela, mas o mundo não a reconheceu. Veio para o que era seu, mas os seus não a receberam. Contudo, aos que a receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus.” (João 1:10-12) “Pois Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Pois Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”(João 3:16-17)

Não há dúvida de que existe dor e sofrimento neste mundo. Um pouco deles podem ser explicados pelo egoísmo, ações odiosas da parte de outras pessoas. Outros casos desafiam uma explicação nesta vida. Mas Deus nos oferece ele mesmo. Deus nos dá conhecimento de que ele também enfrentou isso, e está ciente da nossa dor e de nossas necessidades. Jesus disse aos seus discípulos: “Deixo-lhes a paz; a minha paz lhes dou. Não a dou como o mundo a dá. Não se perturbem os seus corações, nem tenham medo.” (João 14:27 ) Existem muitas razões para ter medo, se perturbar, mas Deus pode nos dar sua paz, que é maior do que o problema diante de nós. Afinal Ele é, Deus, o Criador, Aquele que sempre existiu, Aquele que criou o universo num estalar de dedos.

Ainda mesmo, em todo seu poder, ele também é aquele que nos conhece intimamente, até mesmo nos menores e insignificantes detalhes. E se confiarmos a ele com as nossas vidas, tendo fé, embora encontremos dificuldades, ele irá nos guardar em segurança. Jesus disse: “Eu lhes disse estas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo.” (João 16:33) Ele passou por uma das piores ameaças–a morte–e a venceu. Ele pode nos ajudar a passar pelas circunstâncias difíceis da vida, e nos dar a vida eterna, se confiarmos nele.

Nós podemos ainda passar por esta vida com ou sem Deus. Jesus orou: “Pai justo, embora o mundo não te conheça, eu te conheço, e estes sabem que me enviaste. Eu os fiz conhecer o teu nome, e continuarei a fazê-lo, a fim de que o amor que tens por mim esteja neles, e eu neles esteja.” (João 17:25,26)

A Paz Jovens (também que tiver espírito jovem)!! Agora temos + um espaço aqui no blog hehe sempre criando coisas novas! Vamos estar postando algumas imagens para você refletir um pouco e como sempre e mais importante aprender mais do Pai.. Desfrutem de quão bom é o Senhor!!! XD
Matheus Tonon

Portal Expressão Jovem: Pra ter + de Deus você tem que diminuir. João 3:30
João 3
30 "É necessário que ele cresça e que eu diminua."

Portal Expressão Jovem: Se eu encontro em mim mesmo um desejo que nenhuma experiência desse mundo pode satisfazer eu posso concluir que eu não fui feito para este lugar - C.S. Lewis


Portal Expressão Jovem: Não Encha sua mente de bobagens, Filipenses 4:8
Filipenses 4

8 Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente.

Portal Expressão Jovem: Deus não rejeita um coração arrependido, Salmos 51:17
Salmos 51
17 Ó Deus, o meu sacrifício é um espírito humilde; tu não rejeitarás um coração humilde e arrependido.

Portal Expressão Jovem: Porquê você continua querendo o áquario quando descobre que há um mar?, Gálatas 5:1
Gálatas 5
1 Cristo nos libertou para que nós sejamos realmente livres. Por isso, continuem firmes como pessoas livres e não se tornem escravos novamente.

Deus não nos escolheu para vivermos em um áquario, buscando pouco dEle, mas para que soubessemos que existe um mar, um mar cheio de sua presença esperando que sejamos livres, livres para nadar além do que pensamos, naquilo que Deus preparou para nós.






Marcos 2:17
"Jesus, porém, ouvindo isso, disse-lhes: Não necessitam de médico os sãos, mas sim os enfermos; eu não vim chamar justos, mas pecadores."


II Coríntios 12
9 E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.
10 Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.

Mateus 5
13 Vocês são o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam.
14 Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte.
15 Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar próprio para que ilumine todos os que estão na casa.
16 Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês, que está no céu.

-----------------------------------------------------------------------------------
Confira mais!

"Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas." Colossenses 3:2




Retirado de SuaEscolha.com

Você já se perguntou: “Qual é o propósito da vida?. Deve existir algo a mais. Algo mais do que simplesmente existir”. Seguem algumas narrativas com as opiniões de três pessoas sobre a vida real e o papel de Deus nela.

Onde acho total preenchimento (por John G.)

Talvez você já tenha ouvido a história do homem cujo único sonho era escalar uma montanha. Quando ele chegou ao topo, teve um grande desapontamento. Não existia mais nenhum lugar para onde ir, e ainda faltava algo em sua vida. É como o jogador de futebol que fica deprimido depois de ganhar a Copa do Mundo.

Minha experiência na faculdade era mais ou menos assim. Quando cheguei no último ano do curso, já tinha conseguido tudo o que as pessoas diziam que preencheria minha vida: fazer parte de um projeto de pesquisa, de um centro acadêmico; ir para várias festas; tirar boas notas; e passar tempo com garotas que realmente me atraíam.

Tudo o que queria fazer e conseguir durante a faculdade passou. No entanto, quando eu cheguei ao “topo da montanha”, ainda não me sentia preenchido. Algo ainda estava faltando, e eu não tinha a que recorrer.

Claro que ninguém sabia que eu me sentia assim, pois, por fora eu não demonstrava. Ironicamente, senti que muitos dos meus amigos se espelhavam em mim, desejavam que a vida deles fosse parecida com a minha. Eles não sabiam o quanto eu estava me sentindo vazio.

Existia, no entanto, outro grupo de pessoas na minha faculdade. Eu os chamava de “Batedores de Bíblia”. Mesmo que eu tenha zombado deles e sempre estivesse procurando razões para os condenar, existia algo sobre eles que eu não agüentava, eles não pareciam estar perdendo nada. Eles pareciam ter aquele preenchimento que eu estava procurando e pareciam também saber o sentido da vida.

No verão depois do meu último ano na faculdade, fui convidado para um estudo bíblico em uma igreja. Por alguma razão eu fui. Acho que estava mais aberto para assuntos espirituais do que antes. Quando o rapaz começou a ensinar sobre a Bíblia, fiquei surpreso. “Ei, esse negócio está indo direto ao ponto!” Fiquei impressionado com o quão verdadeira era a Bíblia e o quão relevante era para a minha vida!

Era como se Deus estivesse batendo na porta do meu coração… mas ainda não queria deixá-lo entrar. Eu ficava pensando no quanto minha vida mudaria e no que os meus amigos iriam pensar. Eu estava com medo. Mas quanto mais pensava, mais Deus me ajudava a ver que entrar em um relacionamento com Ele era a coisa certa a fazer. Então, falei a Ele que sinceramente queria que fizesse parte da minha vida.

O que aconteceu depois é difícil descrever. Eu posso dizer que: Eu “encontrei” a Deus. Quando O encontrei, descobri o real preenchimento. Eu me sentia completo como nunca antes, como se uma parte vazia da minha vida tivesse sido preenchida, e tem sido assim desde então.

O que eu descobri foi que a minha experiência não era única. É o que Jesus Cristo se prontifica a fazer na vida de qualquer um. Ele disse (e ainda diz): “Eu sou o pão da vida. Aquele que vier a mim não terá fome, e aquele que acreditar em mim nunca terá sede”. ( João 6:35 ) Jesus nos oferece um relacionamento com Ele.

A vida ainda tem seus altos e baixos, seus desapontamentos, e problemas. No entanto, o que dá razão de viver para a minha vida e a faz ser tão maravilhosa é o real preenchimento que eu experimentei ao conhecer a Jesus Cristo.

Onde eu acho real aceitação (por Robert C.)

Quando eu era criança, cada data comemorativa tinha o seu próprio programa na TV - Charlie Brown no Halloween, O Grinch no Natal. Um programa, no entanto, era tão grande que não precisava de uma data comemorativa – era o evento celebrado. Eu estou falando de O Mágico de Oz.

Talvez você se lembre da história. Dorothy sai de Kansas, interior dos Estados Unidos, e aterrisa em Oz, onde ela convenientemente mata a bruxa e se torna uma celebridade.Todo essa homenagem e boa vontade dos residentes de Oz, no entanto, falhou em lhe dar o que ela mais desejava: o desejo de estar em casa. Mas, felizmente, até esse desejo pode ser realizado na terra dos sonhos. Tudo o que ela precisa é uma viajem para ver mágico… o maravilhoso Mágico de Oz. Então, antes que saiba, ela está na jornada com três novos companheiros, cheios de esperança em encontrar essa grande figura.

Você se lembra do que acontece depois? Em vez de um bom e amável mágico, Dorothy e seus amigos encontram um homem raivoso, com mau temperamento, interessado somente em se desfazer deles. Depois de apresentarem seus desejos, ele diz: “Antes que eu realize o desejo de vocês, têm que provar que vocês merecem”. Então o Mágico lhes dá uma tarefa quase impossível para os provar: obter a vassoura da Malvada Bruxa (a Malvada Bruxa é a irmã da bruxa que Dorothy matou), muito valiosa para o maravilhoso Mágico de Oz.

Para a surpresa do Mágico, eles voltaram com a vassoura. Pouco impressionado, o Mágico, continua tentando se desfazer deles. Mas, enquanto eles pediam sobre sua situação, algo interessante aconteceu: Totó (o cachorro de Dorothy), cheirou algo esquisito na fumaça do mágico raivoso, e achou uma cortina no canto do quarto. O cãozinho puxa a cortina e revela um bondoso e velho homem que não é nada parecido com o mágico.

Quando eu estava crescendo, Deus, para mim, era parecido com o Mágico de Oz. Eu pensava que Ele era mau e raivoso e que conhecia muito pouco de mim. As poucas imagens que eu via dEle na igreja, quando criança, me apresentavam um ser distante, de outro mundo, inalcançável. A sua morte na cruz, uma imagem constante, entendia como um grande sacrifício, sacrifício em que ele parecia ter relutado. O que realmente contava pra ele, eu pensava, era o quão bem eu me comportava e quão bem eu vivia de acordo com seus padrões. Se algum dia eu fosse ser aceito por Deus, teria que provar ser digno disso. Como você pode imaginar, Deus não era uma grande figura em minha vida. Maravilhoso, não era uma palavra que eu usava para descrevê-lo.

Então, no meu primeiro ano da faculdade, tudo isso mudou. A cortina foi puxada. Pela primeira vez na minha vida, alguém me mostrou na Bíblia – um livro que eu sempre achei que estava cheio de fumaça – quem Deus realmente era. Ele não era um homem mau e mesquinho – justamente o contrário. Amável e cheio de compaixão, ele sabia que eu era incapaz de viver uma vida perfeita e de manter-me dentro dos seus padrões. Então, por causa de seu grande amor, Deus se tornou aquele homem perfeito e viveu os seus próprios padrões por mim.

Jesus Cristo, eu aprendi, não era o meu exemplo, ele era o meu substituto. Eu não devo tentar imitar o seu sofrimento, mas me beneficiar dele. Na sua morte na cruz, que descobri que Jesus passou por aquilo por vontade própria, meus pecados e falhas foram julgados. Na cruz, Deus demonstrou seu grande amor por mim. Foi lá que Ele me mostrou o quanto Ele me conhecia. Foi lá que Ele me aceitou. Como a Bíblia diz: “Deus fez a ele, que não tinha pecado ser pecado por nós, para que nele pudéssemos ser justo diante de Deus.” (2 Coríntios 5:21 )

Real aceitação, eu descobri, se encontra naquela nova pessoa atrás da cortina. Eu desafio você a puxar a cortina e descobri-lo você mesmo, e a considerar a Sua oferta de aceitação e perdão.

Onde eu acho real propósito (por Marilyn A.)

Eu sempre achei que a vida deveria ter um propósito. Isso não quer dizer, necessariamente, todos os momentos de cada dia. Quero dizer, como é importante lavar roupas? Nem quero dizer que a vida deva ser sempre séria. Precisamos todos de alguns bons momentos!

A vida, no entanto, deve ser mais do que procurar por prazer, tanto porque os momentos de alegria não duram pra sempre. Estão aqui por algum momento, e depois se foram…O autor Ravi Zacharias disse bem: “Se não existisse um significado maior na vida, então ela não teria força, seria sem substância ou explicação”.

Por vários anos eu estudei as filosofias de Dostoyevsky, Sartre, Nietsche, Sócrates e muitos outros, procurando um propósito preponderante e motivante para minha vida. A cada poucas semanas eu “testava” uma nova filosofia para ver se dava certo. Mas eu descobri que essas filosofias eram decepcionantes quando aplicadas em situações da vida real. E minha procura continuou.

Um correspondente internacional de notícias da revista TIME, Dr. David Aikman, jogou uma luz sobre esse asssunto. Dr. David Aikman conta com alguns títulos de pós-graduação; perito em História da Rússia e da China e em assuntos comunistas, tem trabalhado em mais de 30 países; é fluente em seis línguas e é um sério pensador sobre questões da vida. Ele disse: “Cada um de nós tem um propósito, uma razão para estar aqui, que ninguém pode te dizer qual é, mas você pode descobrir através de Deus”. Dr. Aikman recomendou iniciar um relacionamento com Jesus Cristo.

Dr. Aikman testemunhou, “Quando eu escutei as palavras de Jesus (na Bíblia), parecia, para mim, que Ele estava falando ao meu coração, dizendo: ‘Eu sou o caminho para a vida. Se você me seguir e fizer o que eu digo, sua vida mudará!’” Então ele falou sobre a importância de darmos um primeiro passo para iniciar um relacionamento com Jesus Cristo, pedindo para que Ele entre em nossa vida. O acadêmico conclui ainda: “Eu posso garantir uma coisa: qualquer pessoa que der este primeiro passo em direção a Jesus Cristo terá uma vida empolgante”.

Como Dr. Aikman, eu venho de um passado ateu. Semelhante a ele, vi que as afirmações de Jesus sobre Ele mesmo eram únicas. Cristo não direcionou as pessoas à sua filosofia; Ele as direcionou para Si mesmo! Jesus disse que poderia perdoar os nossos pecados, nos dar paz interior em meio às circunstâncias e nos guiar para uma vida de liberdade.

Determinei que se realmente existisse um Deus, eu iria querer conhecê-Lo. Mas eu ainda era muito cética. Discutia com os cristãos que conhecia e os desafiava. Queria provas de que Jesus era Deus. Um dia, observei honestamente as evidências da existência de Deus e da divindade de Cristo e fiquei chocada ao achar muitos fatos históricos e lógicos. Fiquei ciente, a partir de então, que precisava tomar uma decisão. Iria pedir para que Ele entrasse na minha vida e influenciá-la da maneira como quisesse? Ou iria eu fechar esse capítulo de minha vida e recusar a possibilidade, “Deus” novamente?

Depois de revisar as concretas e intelectuais razões para acreditar em Jesus, perguntei a Ele se poderia entrar em minha vida. Naquele dia a minha busca por um sentido na vida foi completamente resolvido.

Fiquei maravilhada ao saber que poderia ter um relacionamento com Deus. Eu falava com Ele e através de mudanças em circunstâncias, me mostrava que tinha me escutado. Ele me direcionou em caminhos na minha carreira que são muito mais empolgantes do que jamais imaginei. Eu Lhe fiz perguntas e fui guiada à respostas apropriadas e de grande ajuda na Bíblia.

Estas coisas não aconteceram somente como se eu estivesse em um dia obscuro e chuvoso. Era um relacionamento mútuo genuíno, com Deus, que eu estava experimentando, e ainda estou. Não era porque eu me tornei uma “santa”, mas porque Jesus Cristo entrará na vida de qualquer que realmente queira conhecê-Lo e segui-Lo.

Quando seguimos a Cristo, há verdadeira alegria. Diferente de qualquer outra coisa ou pessoa, conhecer a Jesus Cristo trouxe verdadeiro propósito a minha vida.

O propósito da vida…

Vida Real é uma vida com propósito, aceitação e preenchimento. Nós a achamos em um relacionamento com Jesus Cristo. Nenhum humano na história fez as alegações que Jesus fez e teve tantas provas para apoiá-las. Cristo alegou ser Deus, ter o poder de perdoar pecados e ser o único caminho pelo qual podemos conhecer Deus, o Pai. Jesus provou as suas alegações com a Sua ressurreição. Ele é, verdadeiramente, a pessoa mais singular que já viveu… Muito mais do que um grande mestre.

A Bíblia diz que Jesus foi Deus que se tornou homem – “A palavra se tornou carne e habitou entre nós”. (João 1:14) Ele era a exata representação de Deus. (Hebreus 1:3) Em suma, Jesus revelou exatamente o que Deus é. Então, como podemos começar um relacionamento com Deus?

Nós não começamos um relacionamento com Deus tentando ser uma pessoa melhor. Tentar ganhar a aprovação de Deus não é o caminho pelo qual Ele quer que andemos. Você já esteve em um relacionamento em que você tinha que tentar ganhar a aprovação da outra pessoa? Não é nada divertido.

Deus tem um amor tão genuíno por nós que Ele mesmo providenciou uma maneira de nos aproximarmos dEle. Porém, existe um problema. Neste momento, o que está entre nós e Deus é o nosso pecado (nosso egocentrismo mostrado em raiva, impaciência, egoísmo etc.). Se você já se perguntou por que suas orações parecerem não ir a lugar algum, esta é a razão: Nosso pecado nos tem separado de Deus, que é santo.

Então, o que Deus fez para que pudéssemos ter um relacionamento mais próximo com Ele? Jesus Cristo (Deus em carne) levou todos os nossos pecados em seus ombros quando morreu na cruz. Ele fez isto para que pudéssemos ser completamente perdoados, totalmente aceitos por Ele.

Esse problema pode ser ilustrado assim: um universitário cometeu um crime e recebeu uma pena. A sentença era de 30 dias na cadeia ou uma fiança de R$ 1.000,00. O universitário não podia nem pagar nem passar este período na cadeia. O juiz, sabendo disso, anda até a posição do réu, e com o seu dinheiro, paga a fiança. Por quê? Porque, como um justo juiz, não pode fingir que não houve um crime. Mas, como é o pai do estudante, escolhe pagar a pena por ele.

Isso é exatamente o que Jesus fez por cada um de nós na cruz. Ele passou pelo grande sacrifício de ser espancado, humilhado, cuspido, e crucificado por nós. Ele agora nos pede como resposta a esse sacrifício que o convidemos para entrar em nossa vida.

Vida Real

Ele quer que nós O conheçamos e experimentemos Seu amor, alegria e paz. Quando O convidamos a fazer parte de nossas vidas nossos pecados são perdoados e começamos um relacionamento com Ele, que é feito para durar eternamente. Jesus disse: “Eu estou à porta e bato, se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei”. (Apocalipse 3:20)

Se este é o desejo do seu coração agora, a seguinte oração pode ajudá-lo (as palavras não são tão importantes como a atitude de seu coração):

Querido Deus, eu confesso que pequei contra Você. Obrigado por ter levado todos os meus pecados na cruz. Eu quero receber o seu perdão. Eu quero iniciar um relacionamento com você. Eu peço a você que entre em minha vida. Eu lhe peço que entre em minha vida como meu Salvador e Senhor. Por favor, dê-me a Vida Real que vem somente através de você.

RESGATE JOVEM - "resgatando vidas"

Fala galerinha de Deus hehe nós criamos um grupo de evangelismo no nosso Ministério de Jovens chamado RESGATE JOVEM - "resgatando vidas" e gostaria de estar compartilhando o nosso trabalho!

Nós realizamos uma abordagem no Centro da city aqui e com cartazes e rostos pintados abraçavamos a quem nos deixava abraçar, passando a mensagem do amor de Deus para as pessoas e as convidando para visitar nossa igreja. Agradeço muito a Deus pela oportunidade de falar do Seu Nome. Confira as fotos!

Clique aqui para ver as fotos



Imagine um martelo. Ele foi desenhado para bater pregos. Foi para isso que ele foi criado. Agora imagine que o martelo nunca é usado, fica lá jogado na caixa de ferramentas. O martelo não se importa.

Agora, imagine o mesmo martelo com uma alma, com consciência própria. Dias e dias passam e ele continua na caixa de ferramentas. Ele se sente meio estranho, mas não sabe exatamente o porquê. Alguma coisa está faltando, mas ele não sabe o que é.

Então um dia alguém o retira de dentro da caixa de ferramentas e o usa para quebrar alguns galhos para pôr na lareira. O martelo fica cheio de alegria. Ser segurado, utilizado com eficácia, batendo nos galhos–ele ama aquilo. No final do dia, entretanto, ele ainda se sente insatisfeito. Bater nos galhos foi divertido, mas não era o bastante. Algo ainda estava faltando.

Nos dias seguintes, ele foi usado freqüentemente. Desamassou uma calota, despedaçou algumas pedras, colocou o pé de uma mesa no lugar. Ainda assim, continua insatisfeito. Ele anseia por mais ação. Ele quer ser usado o máximo que puder para bater nas coisas ao seu redor, para quebrar, despedaçar e amassar coisas. Ele descobre que não experimentou o bastante desses eventos para se sentir completo. Fazer mais dessas mesmas coisas, ele acredita, é a solução para sua insatisfação.

Então um dia alguém usa o martelo num prego. De repente, uma luz invade a alma do martelo. Ele agora entende para que foi verdadeiramente projetado. Foi feito para bater pregos; que não tinha nem comparação com as outras coisas que ele bateu. Agora ele sabia o que sua alma de martelo estava buscando por tanto tempo.

Fomos criados à imagem de Deus, para ter um relacionamento com Ele. Estar envolvido nesse relacionamento é a única coisa que irá satisfazer as nossas almas. Até conhecermos a Deus, tivemos experiências maravilhosas, mas não tínhamos acertado o prego. Fomos usados para propósitos muito nobres, mas não para o qual fomos especialmente projetados, não para o qual iria nos trazer plena satisfação. Agostinho resumiu da seguinte maneira: “Tu [Deus] nos fizeste para Ti mesmo e nossos corações não encontrarão descanso até que estejam descansados em Ti.”

Um relacionamento com Deus é a única coisa que irá saciar o desejo de nossas almas. Jesus Cristo disse: “Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede” (João 6:35). Até conhecermos a Deus, estamos famintos e sedentos de vida. Tentamos “comer” e “beber” todos os tipos de coisas, mas a insaciedade permanece.

Somos como o martelo. Não percebemos o que irá acabar com aquele vazio, a insatisfação, nas nossas vidas. Até mesmo no meio de um campo de concentração nazista, Corri Tem Boom entendeu que Deus dava satisfação completa: “A fundação da nossa felicidade era que sabíamos que estávamos guardados com Cristo em Deus. Podíamos ter fé no amor de Deus…nossa Rocha que é mais forte do que a mais profunda escuridão.”

Geralmente quando deixamos Deus de fora, tentamos encontrar satisfação em algo que não é Deus, mas nunca podemos ter o bastante desse algo. Continuamos “comendo” ou “bebendo” mais e mais, equivocadamente pensando que “mais” é a resposta do problema, ainda assim nunca estamos plenamente satisfeitos.

O nosso grande desejo é conhecer a Deus, ter um relacionamento com Ele. Por quê? Porque isso nos mostra para que propósito fomos criados. Você já acertou um prego?

Retirado de SuaEscolha.com

Jesus já te perdoou.. a questão é: Você vai se perdoar?

Pecado: Como Reagir
por Mauro Clark -
Ministério Falando de Cristo
Apesar da intensa guerra que devemos travar contra o pecado, há batalhas (e
infelizmente como há!) em que terminamos como perdedores, caidos ao chão,
miseráveis pecadores. Como fazer em situações assim? Como devemos reagir quando
decepcionamos o nosso Deus e entristecemos o nosso Salvador? Essa
mensagem sugere CINCO reações corretas, todas indicadas pela Bíblia.

Em uma mensagem passada, (Pecado: Como não reagir), vimos que o fato de todos sermos pecadores não nos deve levar a um determinismo irresponsável, tipo: já que não é possível evitar o pecado, vou deixar rolar.

O crente deve lutar com todas as forças contra o pecado.

Uma questão séria da vida do crente é exatamente esta: mesmo depois de lutar, se ele for vencido e terminar pecando, qual a maneira certa de reagir?

Na mensagem passada vimos como não reagir ao pecado:

a) Dificuldade de reconhecer o pecado;
b) Esconder o pecado (de Deus e dos homens);
c) Acrescentar pecado sobre pecado;
d) Não temer a Deus pelo pecado.

Hoje veremos COMO REAGIR.

1) Reconhecendo o mal praticado.
Quando o filho pródigo chegou no ponto de reconhecer que errou, começou a consertar o seu rumo (Lucas 15.16-19).
Pecados do tipo roubar, mentir, fornicar, etc., deveriam ser facilmente reconhecidos.

Mas às vezes o crente está tão endurecido, que demora ou mesmo se recusa a reconhecer pecados assim. E inventa desculpas:

Não roubei, tirei porque estava precisando.
Tudo bem, não disse a verdade, mas foi melhor para o outro.
Aquilo com a namorada não foi imoralidade, foi carinho. E por aí vai…

E se às vezes somos lerdos em reconhecer pecados externos, que envolvem ação, quanto mais será difícil reconhecer pecados sutís, realmente difíceis de perceber:

* Predisposição contra alguém por problema antigo
* Afastamento progressivo de Deus
* Inveja disfarçada, etc.

Como perito que examina o local do crime, para perceber a mínima pista - um fio de cabelo, uma gota no chão - crente tem de ser perito em identificar pecado cometido.

Para isso, antes de tudo, precisa conhecer bem as Escrituras, pois é lá onde estão os padrões de Deus. (E pecar é exatamente contrariar esses padrões).

Além disso, precisa querer descobrir.

Jó pediu a Deus que o ajudasse a descobrir seus pecados (Jó 13.23).
Uma vez a consciência acusando, a primeira atitude é reconhecer “pequei”.

Vejamos a próxima atitude correta:

2) Ódio ao pecado.
Interessante como pregações, livros, etc, enfatizam muito a necessidade de cultivarmos amor no coração, mas falam muito pouco de uma certa necessidade de termos ódio.

Pois é, ódio… ao pecado (Salmos 97.10; Amós 5.15; Romanos 12.9).

A cena de alguém com ódio de outro, ou de alguma coisa, mostra essa pessoa batendo, esmurrando, querendo destruir.
Pois é assim que devemos agir com o pecado.


Você tem tido esse sentimento? Ou considera pecado como coisa meio inofensiva?
Ou chega ao cúmulo de tratar certos pecados quase como de bichinho de estimação?
Irmãos, cristianismo não é apenas vir aos cultos, dar dízimo, ir para mocidade.

Esse tipo de exercício interno ou atitude referente ao pecado faz parte da vida cristã. Aliás, é fundamental!

Veja como o salmista se sentia com relação, por exemplo, à mentira (Salmos 119.163).

Falei que uma das maneiras de não reagir ao pecado era falta de temor a Deus.
Pois um dos fatores que desperta ódio ao pecado é exatamente a presença do temor a Deus.

Quem teme a Deus, sabe o risco que está correndo de ser duramente disciplinado, fica preocupado, sofre em imaginar o que virá.

Ora, quem causa toda essa tensão? O pecado.

O pecado passa a ser visto como inimigo, que pode trazer grandes prejuizos.
Quanto mais alguém teme a Deus, mais odeia o próprio pecado.

Uma vez que reconhece que pecou e está fervendo de ódio contra ele, o próximo passo é:

3) Arrependimento
Impressionante como era idêntica a frase com que João Batista e Jesus começavam a pregar: Arrependei-vos porque está próximo o reino dos céus (Mateus 3.2; Mateus 4.17).
Depois deles, Pedro seguiu na mesma linha (Atos 2.38; 3.19).

Mesmo que estivesse em vista o arrependimento para efeito de salvação, não elimina o fato de que cada pecado, de crente ou não, precisa ser seguido de verdadeiro arrependimento.

Das cartas que Jesus escreveu para as sete igrejas (via João), em cinco ele mandou as igrejas arrependerem-se:

Éfeso (Apocalipse 2.5); Pérgamo (2.16); Tiatira (2.21); Sardes (3.3); Laodicéia (3.19).

Arrependimento: No grego metanoeo: meta (depois) + noeo (pensar): pensar depois, ter outro pensamento. Mudar de rumo.
O verdadeiro arrependimento inclui tristeza, contrição, abatimento (Salmos 38.18; Jeremias 3.21).

O crente fica tão triste com o que fez, que deseja de todo o coração não fazer mais, mudar de rumo.

O coração sem arrependimento, DURO, é típico de pecador perdido (Romanos 2.5).

4) Confissão
O filho prodigo fez exatamente o que disse que iria fazer, perfeitamente coerente com o reconhecimento íntimo a que já tinha chegado (Lucas 15.20-21).
Essa confissão, claro, é primeiramente a Deus (1 João 1.9).
Observe como a confissão é condição para que Deus perdoe os nossos pecados (não mais para efeito de salvação).

Além da confissão, poderá ser o caso de termos de confessar a quem ofendemos - como fez o filho pródigo.
Essa confissão de pecados a pessoas faz parte da vida cristã (Tiago 5.16).

Um excelente e prático princípio de vida temos em Provérbios 28.13.
Pronto, o ciclo de reações saudáveis ao pecado está completo: reconhece, odeia, arrepende-se e confessa. Depois de confessar, nada mais resta a fazer. Certo?

Não, falta algo:

5) Tomar providências para NÃO RECAIR
Talvez os mais atentos tenham notado um pequeno detalhe no último versículo sugerido. Provérbios 28.13: … o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.

Quer a misericórdia de Deus? Deixe o seu pecado.
Quer a misericórdia dos homens? Da mesma forma, deixe de pecar contra eles.
Cheira muito a hipocrisia dizer-se arrependido e continuar agindo do mesmo jeito.

Deus mostra muita irritação com Israel porque não parava de ofendê-Lo (Isaías 1.13-17).
Veja como Jesus dizia: João 5.14; 8.11 –“Respondeu ela: Ninguém, Senhor! Então, lhe disse Jesus: Nem eu tampouco te condeno; vai e não peques mais”.

Providências práticas para não recair:

* Ser radical para manter a decisão de não recair (Mateus 5.29-30);
* Praticar o bem (Salmos 34.14a).
Aqui temos um verdadeiro segredo de vida cristã: a melhor maneira de evitar o mal, é praticar o bem.
* Orar pedindo ajuda (Salmos 19.13; Mateus 6.13).

Que Deus lhe ajude, irmão, primeiramente, a não pecar. E quando pecar, a reagir corretamente.

Jesus Cura a visão de um Cego!!! #Comédia

por Matheus Ortega - naomordaamaca.com


“Os que deveriam salgar a terra estão virando estátuas de sal. Os que deveriam
ser o tempero do mundo, estão temperando seus próprios desejos, vivendo para sua
própria gloria.”


A história de Ló é muito relevante para nossos dias. Ele era um homem justo, que brilhava no meio da cidade perversa de Sodoma.

Quando os dois anjos chegaram para avisá-lo sobre a destruição da cidade, ele ofereceu acomodação para eles, e deu tudo de melhor que tinha. Ele era um homem que temia a Deus, apesar de viver no meio de pessoas impuras.

Vivemos em um mundo perverso. Uma das passagens mais chocantes da Bíblia é essa:

“Todos os homens de toda parte da cidade de Sodoma, dos mais jovens aos mais velhos, cercaram a casa. Chamaram Ló e lhe disseram: “Onde estão os homens que vieram à sua casa esta noite? Traga-os para nós aqui fora para que tenhamos relações com eles”. Ló saiu da casa, fechou a porta atrás de si e lhes disse: “Não, meus amigos! Não façam essa perversidade!” (Gen. 19:5,6)

O resultado dessa perversidade foi a cegueira. Os anjos cegaram a todos os homens que queriam fazer essa obscenidade, e então avisaram a Ló que iriam destruir aquela cidade. Eles disseram: “as acusações feitas ao Senhor contra este povo são tantas que ele nos enviou para destruir a cidade”.

Os anjos puxaram Ló, sua mulher e duas filhas da cidade, porque teve misericórdia deles, e disseram a eles: “Fujam por amor à vida!”.

Meu querido, persevere no Compromisso de Jó. “Fujam da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo.” (1 Cor. 6:18)

Depois de mostrar sua misericórdia com Ló, Deus fez chover do céu fogo e enxofre sobre Sodoma e Gomorra. Ele destruiu todas as edificações, vegetação e habitantes. A família de Ló foi salva, mas um fato muito interessante aconteceu:

“Mas a mulher de Ló olhou para trás e se transformou numa estátua de sal.” (Gen. 19:26)

Nós, que conhecemos a Cristo, temos duas opções na vida:

1. Salgar a terra e sermos luz no mundo; 2. Não salgar a terra e virarmos estátuas de sal;

A pessoa que vira uma estátua de sal é aquela que já conheceu ao amor de Deus, já foi salva da morte e do castigo, mas sente saudade do mundo. Sente vontade de voltar a viver desfrutando dos prazeres deste mundo, curtindo a vida sem limites ou reverência a Deus.

Em Lucas 17:32, Jesus diz uma frase que muitos nem sabem que existe: “lembrem-se da mulher de Ló!”

Cuidado para não virar uma estátua de sal, esquentando bancos de igrejas, lendo a Bíblia e não pondo em prática, dizendo ser cristão e não amando ao seu próximo. O Evangelho é sempre sobre o “outro” e nunca sobre “mim”. Abra seus olhos e veja que você é chamado para brilhar neste mundo e fazer a diferença, ser os braços de Cristo e ajudar o necessitado, olhar para frente e perseverar na fé.

Se você quiser, junte-se a mim e faça esta oração:


“Meu Deus, me ajude a fugir da prostituição antes que o juízo venha, e que
eu não olhe para trás enquanto fujo. Que eu não seja como a mulher de Ló, que
virou uma estátua de sal por desejar as coisas deste mundo. Que eu seja como
Moisés, que preferiu ser maltratado com o povo de Deus do que desfrutar dos
prazeres do pecado por algum tempo. Ajuda-me a viver o Evangelho verdadeiro,
renunciando a minha carne e vivendo por Ti. Amém.”




Lucas & Fer

Esse é o Casamento do Ano !!!!
Bem... não sou muito bom nessas coisas de homenagem e tals então vou deixar um espaço para que todos possam falar o quanto vocês amam esses nossos Líderes hehe
Deus abençõe muito a vida de vocês e...
Bem Vinda a Família Fer hehe !!!








Confira os Melhores Momentos do Casamento!!!
* a parte da dança está no minuto 12:50 rs


Créditos: Junior

Portal Expressão Jovem: Unção do Malandro, Mensagens Cristãs, Artigos, Jovem Cristão, Juventude, Evangelismo, Humor Cristão, Wallpaper, IEQ, Quadrangular Tupã Centro, Foursquare, Jesus, Deus, God, Bíblia, Holy Bible, Tirinhas Gospel, Tiras, nova unção

Portal Expressão Jovem: O Alfabeto de Jézuis, Mensagens Cristãs, Artigos, Jovem Cristão, Juventude, Evangelismo, Humor Cristão, Wallpaper, IEQ, Quadrangular Tupã Centro, Foursquare, Jesus, Deus, God, Bíblia, Holy Bible, Tirinhas Gospel, Tiras, X do que irmãos?

Então, Deus não Existe?!

Não afirme “por aí” que este humilde blog nega existência de Deus.

Pretendo apenas propor uma discussão mais profunda sobre o Ser Deus, sua Soberania e sua transcendência.

Qualquer coisa, deixe-nos um comentário, pois não quero ser uma pedra de tropeço na sua fé... apenas filosofia sobre o Ser de Deus!

--------------------------------------------------------------------

Deus não existe. Ele é Ele mesmo pra além de toda essência e existência. Portanto, argüir acerca da existência de Deus é o mesmo que negá-Lo.

Deus não existe. Ele é. Eu existo. Pois existir não é algo que seja pertinente ao que É. Existir é o que se deriva do que sendo, É de si e por si mesmo.

Deus não existe. O que existe tem começo. Deus nunca começou. Deus nunca surgiu. Nunca houve algo dentro do que Deus tenha aparecido.

Deus não existe. Se Deus existisse, Ele não seria Deus, mas apenas um ser na existência.

Se Deus existisse, Ele teria que ter aparecido dentro de algo, de alguma coisa, e, portanto, essa coisa dentro da qual Deus teria surgido, seria a Coisa-Deus de deus.

Existem apenas as coisas que antes não existiam. Existir surge da não existência. Deus, porém, nunca existiu, pois Ele é.

Sim, dizer que Deus existe no sentido de que Ele é alguém a ser afirmado como existente, é a própria negação de Deus. Pois, se alguém diz que Deus existe, por tal afirmação, afirma Deus, e, por tal razão, o nega; posto que Deus não tem que ser afirmado, mas apenas crido.

Deus É, e, portanto, não existe. Existe o Cosmos. Existem as galáxias. Existem todos os entes energéticos. Existem anjos. Existem animais e toda sorte de vida e anima vivente. Existem vegetais, peixes, e organismos de toda sorte. Existem as partículas atômicas e as subatômicas. Existe o homem. Etc. Mas Deus não existe. Posto que se Deus existisse dentro da Existência, Ele seria parte dela, e não o Seu Criador.

Um Criador que existisse em Algo, seria apenas um engenheiro Universal e um mestre de obras cósmico. Nada, além disso. Com muito poder. Porém, nada além de um Zeus Maior.

Assim, quando se diz que Deus está morto, não se diz blasfêmia quando se o diz com a consciência acima expressa por mim; pois, nesse caso, quem morreu não foi Deus, mas o “Deus existente” criado pelos homens. Tal Deus morreu como conceito. Entretanto, tal Deus nunca morreu De Fato, pois, como fato, nunca existiu — exceto na mente de seus criadores.

Assim, o exercício teológico, seja ele qual for, quando tenta estudar Deus e explicar Deus, tratando-o como existente, o nega; posto que diz que Deus existe, fazendo Dele um algo, um ente, uma criatura de nada e nem ninguém, mas que também veio a existir dentro de Algo que pré-existia a Ele, e, portanto, trata-se de Algo – Deus sobre o tal Deus que existe.

A Escritura não oferece argumentos acerca da existência de Deus. Jesus tampouco tentou qualquer coisa do gênero. Tanto Jesus quanto a Escritura apenas afirmam a fé em Deus, e tal afirmação é do homem e para o homem — não para Deus —; pois se fosse para Deus, o homem seria o Deus de Deus, posto a existência de Deus dependeria da afirmação e do reconhecimento humano. Tal Deus nem é e nem existe; exceto na mente de seus criadores.

Deus não existe. O que existe pertence ao mundo das coisas que existem OU não existem. Deus, porém, não pertence a nada, e, em relação a Ele, nada é relação.

Defender a existência de Deus é ridículo. Sim, tal defesa apenas põe Deus entre os objetos de estudo. Por isto, dizer: “Deus existe e eu provo” — é não só estupidez e burrice; mas é, sem que se o queira, parte da profissão de fé que nega Deus; pois se tal Deus existe, e alguém prova isto, aquele que apresenta a prova, faz a si mesmo alguém de quem Deus depende pra existir… e ou ser.

O que “existe”, pertence à categoria das que coisas que são porque estão. Deus, porém, não está; posto que Ele É.

Ser e estar não são a mesma coisa, como o são na língua inglesa. O que existe pertence ao que é apenas porque está. Deus, entretanto, não está porque Ele É.

“E quem direi que me enviou?” — perguntou Moisés. “Dize-lhes: Eu sou me enviou a vós outros!” — disse Ele.

Desse modo, Deus não diz “Eu Estou”, mas sim “Eu Sou”. Ora, um Deus que está, não é, mas passou a ser. Porém o Deus que É, mas não está; não pertence ao mundo das coisas verificáveis; posto que Aquele que É, não está; pois se estivesse, seria —, mas não Seria Aquele de Quem procedem todas as existências, sendo Ele apenas um ele, e não Ele; e, por tal razão, fazendo parte das coisas que existem — mas sem poder dizer Eu Sou!

Jesus também falou da sutileza do ser em relação ao estar. Quando indagado acerca da ressurreição pelos saduceus (que não criam em nada que não fosse tangível), Ele respondeu: “Não lestes o que está escrito? Eu sou o Deus de Abraão, eu sou o Deus de Isaque, eu sou o Deus de Jacó. Portanto, Ele é Deus de vivos, e não de mortos; pois para Ele todos vivem”. Assim, os que vivem para sempre são os que são em Deus, e não os que estão existindo. A vida eterna não é existir pra sempre, mas ser em Deus.

Assim, para viver eternamente eu tenho que entrar na dissolvência da existência, a fim de poder mergulhar naquilo que está pra além do que existe; posto que É.

A morte pertence à existência. A vida, porém, se vincula ao que não existe, pois, de fato É.

O que existe carrega vida, mas não é vida. A vida, paradoxalmente, não pertence ao que é existente, mas sim ao que É.

Quando falo de vida, refiro-me não às cadeias de natureza biológica que constituem a vida dentro da existência. Mas, ao contrario, ao falar em vida, refiro-me ao que é para além da existência constatável.

Portanto, Paul Tillich tem razão quando diz: “God does not exist. He is being itself beyond essence and existence. Therefore to argue that God exists is to deny him”.

Ora, usando uma gíria de hoje, eu diria: Tillich tem razão quando diz: “Deus não existe!” — pois é isto que hoje se diz quando algo está pra além da existência: “Meu Deus! Esse cara não existe!”. Assim é com Deus: Não existe! Pois é demais!

Caio Fábio

Doze anos de hemorragia...
Por Mauro Clark - falandodecristo.com.br

Portal Expressão Jovem: Doze anos de emorragia, Mensagens Cristãs, Artigos, Jovem Cristão, Juventude, Evangelismo, Humor Cristão, Wallpaper, IEQ, Quadrangular Tupã Centro, Foursquare, Jesus, Deus, God, Rev. Pedro Tonon Netto, Bíblia, Holy Bible, mulher do fluxo de sangue, desenho para crianças escola bíblica, Mauro Clark, falandodecristo.com.br, Lucas 8:42-48, Marcos 5:27, Luke, Mark, Filho, a tua fé te salvou. Vai-te em paz.Para quem gosta de uma boa estória, aqui vai uma e bem especial, pois além de verídica, está registrada na Bíblia.

Encontramos Jesus andando a caminho da casa de uma menina doente e "enquanto ele ia, as multidões o apertavam. Certa mulher, que havia doze anos, vinha sofrendo de uma hemorragia, e a quem ninguém tinha podido curar (e que gastara com os médicos todos os seus haveres), veio por detrás dele e lhe tocou na orla de veste, e logo se lhe estancou a hemorragia. Mas Jesus disse: Quem me tocou? Como todos negassem, Pedro (com seus companheiros) disse: Mestre, as multidões te apertam e te oprimem (e dizes: Quem me tocou?). Contudo Jesus insistiu: Alguém me tocou, porque senti que de mim saiu poder. Vendo a mulher que não podia ocultar-se, aproximou-se trêmula e, prostrando-se diante dele, declarou à vista de todo o povo, a causa por que lhe havia tocado e como imediatamente fora curada. Então lhe disse: filha, a tua te salvou; vai-te em paz" (Lc 8.42b-48).

Este belo episódio nos mostra, como um espelho, o que acontece atualmente nas vidas de milhares de pessoas. Sofrem de um mal que lhes atormenta dia e noite, anos a fio: a falta de um conhecimento íntimo com Deus. Esse vazio no coração gera uma tristeza dentro da alma. Essa angústia incomoda muito e partem então à procura de uma solução. Tentam de tudo: divertimentos fúteis, costumes exagerados, álcool nas horas de lazer, adultérios e outras práticas que produzem alegria fácil mas superficial demais para lhes encher o coração. E o problema continua ...

Descobrem que a solução não está em fazer algo. "Talvez seja problema de cuca ". E vão à procura da filosofia, do misticismo, da meditação oriental, da psiquiatria. Mas logo descobrem que, para este tipo de mal, todos esses recursos são impotentes. E como aquela mulher, continuam piorando.

É possível que a pobre mulher tenha depositado confiança cega em alguns médicos. Mas adiantou? É provável que tenha tido grande esperança em alguns métodos de cura que porventura alguém tenha lhe ensinado. Adiantou? É evidente que ela tinha uma vontade profunda de ficar boa. A mera vontade adiantou? Que nada! Enquanto ela não achasse a fonte da cura para o seu mal, ela apenas perderia tempo, dinheiro, mais saúde e até o próprio ânimo de viver.

Quem sofre da falta de Deus no coração, enquanto for buscar cura em coisas ou pessoas erradas, pode ter confiança no que for, esperança, vontade, esforço, tudo, enfim. Mas não adianta: vai piorar!

O fato é que a mulher, "tendo ouvido a fama de Jesus" (Mc 5.27), resolveu procurá-Lo, convicta de que ali estava Aquele que não somente tinha poder para curá-la, mas que efetivamente iria fazê-lo. Finalmente! Após doze anos de sofrimento e desesperada busca de solução, agora aquela pobre sofredora estava na direção certa.

Feliz de quem chega à conclusão que por si jamais terá paz espiritual. Que finalmente reconhece a própria insignificância e se desilude da falsa capacidade das coisas daqui para fazê-lo feliz de verdade.

Feliz de quem, neste ponto, com o coração preparado, ouve falar de Jesus! Do que Ele sofreu para poder salvá-lo. Do que tem prometido a quem O segue. Do que Ele tem feito nas vidas de outras pessoas que sofriam do mesmo mal. Feliz de quem resolve, de todo o coração, procurá-Lo de verdade!

Esse irá encontrá-Lo. E, mesmo sem som algum, ouvirá a frase mais doce que já terá penetrado em seus ouvidos: “Filho, a tua fé te salvou. Vai-te em paz.”